Caio Vila

Caio Vila, o baterista dos Shakers, cuja Banda havia se separado há 1 ano e meio aproximadamente, não resistiu ao chamado de Pelin, baixista da mesma Banda, para juntar-se a ele, no Rio de Janeiro.

Foi quando gravaram, um tempo mais tarde "Shakers in the studio again". Por falta de apoio da gravadora, eles não puderam fazer exatamente o trabalho que pretendiam, e pela divulgação insuficiente, o disco não ocupou o espaço que deveria no mercado.


Foi nessa época que veio a conhecer Ruben Lorenzo, um músico uruguaio, que fez parte desse disco, e além dele, também os irmãos de Pelin, Hector e Carlos Capobianco.

Depois disso, Caio retornou a Montevidéu onde tocou com uma Banda chamada Cold Cofee, nesta cidade e também em Buenos Aires.


1972


Regressou ao Rio de Janeiro e junto com Ruben Lorenzo, formou o Duo Face to Face. Con o qual gravaram dois compactos pela RCA..O primeiro deles com o tema "Leave me Alone" que esteve vários meses nos primeiros lugares nas rádios do Rio de Janeiro. Esse sucesso lhes proporcionou apresentações na TV Globo, como o Fantástico, inclusive.Também fizeram vários shows em cidades do interior do Brasil.

Lamentavelmente quando a popularidade estava crescendo e tinham em mãos o material musical para fazer um LP, razões extra-discográficas o obrigaram a desistir do projeto..


Na mesma época, Caio na bateria e Ruben no contrabaixo, acompanharam ao cantor Márcio Greyck por muito tempo em grandes turnês pelo Brasil.


Caio começou então a sentir a finalização de um ciclo e a angústia de ter que inventar algo novo. E para isso talvez tivesse que ir para um outro lugar do planeta, mudar o rumo. Assim foi que ele decidiu morar na Venezuela, em busca de novos horizontes. Isso foi em fevereiro de 1978.


Depois de um mês em Caracas, o diretor artístico da CBS, o convida para fazer uma produção instrumental com os temas que estavam em primeiro lugar nas rádios. Em seguida ele telefonou para Ruben Lorenzo que ainda estava no Rio, dizendo que fosse para Caracas, e juntos fizeram este trabalho com um coro que foi intitulado "Arturitos Band". Esse foi o início de uma série de atividades em parceria com Ruben. Algum tempo depois, eles optaram por tomar rumos diferentes.


1979


Entrou na Poligram como produtor e ficou nessa compania até1982, produzindo artistas e participando como baterista nas gravações.


1983


Migrou para outra gravadora chamada Sonorodven, onde permaneceu durante 4 anos, produzindo artistas locais.

Paralelamente conheceu um musico venezuelano que havia chegado de Londres, e com ele formou um grupo Pop Rock com influências dos Beatles, pois nesse momento ninguém tocava esse estilo de música em Caracas.

Fizeram grande sucesso e trabalharam muitíssimo!


1988


Caio se associou a um studio de gravações de ótimos recursos técnicos para a época, e além de alugá-lo para outros músicos, realizaram muitas produções independentes as quais eram negociadas com outras gravadoras locais devido aos vínculos que ele tinha com muitas delas.


1992


Foi chamado pela Sony Music. Seu presidente, o brasileiro Elcio do Carmo lhe oferece o cargo de diretor artístico. E assim começou um período de 6 anos num cargo de muita responsabilidade, já que a Sony nesse momento era a compania mais importante de Venezuela.


Durante esses anos dirigiu um staff de quinze a vinte artistas contratados, com os quais gravava um disco por ano. Algumas dessas produções eram realizadas em Los Angeles, Porto Rico, Santo Domingo e Miami. A fim de obter resultados coerentes com o conceito exigido para cada produção


2005


Caio estava numa cidade costeira Caribenha, chamada Puerto La Cruz, dirigindo uma Casa Noturna com música ao vivo, quando em fevereiro desse ano, recebeu a primeira ligação de Marcos Zimet, com a proposta de juntar Los Shakers.


Em maio já estavam todos juntos e ensaiando em Montevidéu.

Eram os Shakers outra vez.


A Lenda estava de volta!